Helder Felix - Batons, Eucaliptos e Aspirinas

Batons, Eucaliptos e Aspirinas já anuncia no próprio título às imagens poéticas de suas linhas. Os textos são centrados no cotidiano, nas dificuldades sociais e na relação entre presença/ausência de significados da vida. A infância que nos deixa, os amores que nos golpeia em lembranças, as disparidades sociais que nos rodeiam, as angústias e os medos que sufocam a existência, deixando-a, muitas das vezes, intragável. Reflexão sobre condicionamento das pessoas e as possibilidades de enxergamos a vida de forma mais branda também estão nas páginas deste livro.

Em seu primeiro livro solo, o autor se apresenta com originalidade desde a sequência propositadamente de seus poemas até a busca de uma pluralidade. O autor se faz com uma espécie de ousadia acanhada como quem encanta em versos, esperando a repercussão dos aplausos ao término de cada ato.

Batons é um livro de poesia que a partir de imagens inusitadas, busca envolver o leitor, seduzindo-o a construir o sentido dos poemas. Lacunas são deixadas propositadamente para que o leitor atribua um significado plural. Poesia viva que tentará captar ora a atmosfera social, ora buscará os labirintos daquilo que deixamos para o minuto seguinte, mas que nos martela às vezes. Ou sempre. Ousadia. Poesia. Batons, Eucaliptos e Aspirinas é o começo de um turbilhão real que acende e nos aquece por meio da poesia.

Andrezza Helen Fernandes de Souza