Rafael Lovato - Charlotte

Para a alta sociedade inglesa, Charlotte vivia um conto de fadas: 39 anos, linda, mãe de dois filhos exemplares, casada com um Lorde escocês, morava em luxuosa mansão e passava seus dias entre trabalhos voluntários, salões de beleza e shopping com amigas.

Todos desconheciam, entretanto, que ela não mais tolerava a posição de troféu masculino passivo de seu esposo, Connor, único homem de sua vida. Ela não aguentava mais sufocar seus desejos de independências financeira e sexual. Não queria mais carregar o legado das mulheres Barton, simbolizado pelo anel de diamantes herdado de sua bisavó. Legado, este, que sua controladora mãe não cansava de repetir: “O papel da mulher Barton é manter a família hígida, ser temente a Deus e conservar o marido que possui.”

Um desentendimento com Connor culmina com Charlotte indo, a contragosto de sua mãe, temporariamente morar em Londres com Chloe, sua amiga de adolescência. Chloe a incentiva a terminar sua formação jurídica e buscar libertação sexual. Em Londres, Charlotte conhece Maurice, um francês que em tudo lembrava seu amor inacabado de adolescência com Antoine.

Será que Charlotte colocará a perder o legado da família? Confrontará sua controladora mãe? O mais importante: com as novas escolhas, conseguirá se empoderar enquanto mulher, conhecendo sua alma feminina e encontrando a felicidade?