Vladir Fernandes - Primeiramente Boa Noite

Amar é verbo que se conjuga nos lábios, antes das palavras. É o mundo dos olhos cegos buscando outros olhares. Inútil buscar pureza nessas pequenas covardias de querer voar, mas só se for carregado no colo, tocar outro rosto só com a respiração, ver outro corpo através da pele, buscar um coração que empurre o nosso no aperto de um abraço. Conheço o sabor da sua saliva, a transpiração dos seus poros, já vivi nesse olho de furacão que vive no fundo dos seus olhos.
 
Eram nossos eternos momentos, essas pequenas eternidades que tanto se iam sem jamais partir. Só o que é tocante me marca. Só o que se despede se perde. Só o que se vai é o que não podia nunca ter se perdido. Sou memória viva na sua pulsação. Então por que essa saudade agora? Haveria outro jeito de te lembrar sem me esquecer? Logo essa saudade vai embora. E você, eu esperava que fosse ficar um pouco mais.